• Ciúme excessivo em relacionamento

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    3 Visualizações

    @Edna-Andrade
    Olá!

    O ciúmes excessivo pode desencadear desentendimentos, angústias e sofrimentos em ambas as partes.

    Uma das formas de você lidar com o ciúmes de alguém é informando para a pessoa, de forma assertiva, como você se sente nas situações de ciúmes.

    Exemplos:

    Exemplificar como você se sente. Alinhar o que você gostaria que mudasse. Expor sentimentos negativos. Compreender o motivo do ciúmes. Ambos pensarem juntos como mudar e melhorar as situações.

    O diálogo pode dar a chance de ambos terem novas percepções sobre a situação. Além de desmitificar pensamentos negativos, evitar sentimentos ruins e ações que não são legais.

    Existem as chances da pessoa não conseguir reconhecer ou querer mudar por falta compreensão… Nesse caso, não está no seu controle mudar os pensamentos ou comportamentos de alguém.

    Estará no seu controle analisar e identificar o que te faz bem ou não na relação e colocar na balança o que vale a pena para você.

    Caso precise de ajuda ou outros pontos estejam relacionados a esse ciúmes, procure por ajuda de um profissional da psicologia e em terapia encontrar formas dentro da sua realidade para melhorar a situação.

  • 0 Votos
    2 Posts
    4 Visualizações

    @daniele
    Olá!

    Muitas vezes estamos em situações que podem estar fora do nosso controle e nos gerar angústias e sofrimentos.

    Quando possuímos a dificuldade em encontrar alternativas para sair da situação ou resolvê-la, acabamos nos frustrando e não entendendo o sentido e o motivo do que está acontecendo ou aconteceu.

    Porém, cada pessoa tem sua experiência e realidade de vida, cada uma vai realizar escolhas e seguir caminhos diferentes.

    Pensando nesse sentido, deixo como sugestão:

    Procure por ajuda terapêutica (com um profissional da psicologia) para detalhar mais sobre suas situações e obter ajuda efetiva. Estabeleça uma rede de apoio, com pessoas que você confie (amigos, familiares ou profissionais). Evite guardar os sentimentos/pensamentos somente com você. Tente colocar para fora de alguma forma, em uma conversa, escrevendo, chorando e etc.

    Na plataforma Fepo, oferecemos o acompanhamento terapêutico e acolhimentos de formas acessíveis e prática.

    Caso precisa de ajuda imediata, procure pelo Centro de Valorização da Vida (CVV) através do número: 188.

    Sozinha parece ser difícil, mas estabeleça uma rede de apoio, peça ajuda e inicie um processo de cuidados!

  • Tristeza

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    91 Visualizações

    @Jackie
    Olá!

    As vezes nos encontramos emocionalmente esgotados com tantas situações que já nos aconteceram ou podem estar acontecendo.

    Talvez no momento, você não consiga organizar tantas informações, pensamentos e emoções que estão gerando angústia e sofrimento.

    Deixo como sugestão:

    Procurar ajuda em terapia e iniciar um processo de sessões semanais, para você se organizar emocionalmente. Estabelecer um vínculo de confiança com alguém, para desabafar sempre que precisar. Identificar o que pode estar causando essa angústia, se possível e a princípio, evita-la. Criar uma linha de cuidados fisico (hábitos diários), emocional (terapia) e espiritual, não é sobre religião e sim algo que você acredite que possa trazer conforto (rede de apoio).

    Em momentos de crises ou fortes angústias, ligue no Centro de Valorização da Vida (CVV) no número: 188.

    Profissionais estarão disponíveis 24h para acolhimento e direcionamentos.

  • Tristeza profunda

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    131 Visualizações

    @Aleatório-ai
    Olá!

    Perder ou se afastar de alguém importante pode nos trazer sentimentos negativos em muitos sentidos, pois, estávamos adaptados a convivência/aproximação com aquela pessoa.

    Em seu relato, você cita não saber o motivo, o que pode ser um grande ponto para gerar angustias e sofrimentos.

    Podemos até comparar com um processo de luto, onde passamos por diversas fases que nos exige uma alta energia psíquica e muitas vezes não sabemos lidar.

    Deixo como sugestão, você se acolher neste momento:

    Inicie um processo terapêutico a logo prazo, para organizar os pensamentos e sentimentos. Pratique atividades que você gosta (ler, ouvir musica, sair, caminhar, assistir, jogar e etc). Cuide da sua saúde física, mental e espiritual. Tenha bons hábitos alimentares, atividades físicas e momentos de lazer (mesmo sozinho). De a chance para estabelecer uma nova rede apoio através de familiares, outros amigos ou outros profissionais.

    Valide as suas emoções, compreenda elas e posteriormente reflita sobre as hipóteses que possam ter ocorrido para essa "perda" acontecer, para começar a fazer sentido pra você.

    Quando faz sentido, conseguimos lidar melhor!

  • Queria morrer

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    37 Visualizações

    @Bruna-Azeredo
    Olá!

    Na plataforma Fepo disponibilizamos diversos profissionais para acolhimento, de forma online e acessível.

    Caso esteja precisando de acolhimento e/ou ajuda, nos disponibilizamos através de sessões, chat de apoio e terapias a longo prazo.

    Deixo como sugestão, você entrar em contato com o Centro de Valorização a Vida (CVV) um projeto que visa o cuidado imediato com a saúde mental. Ligando no número 188, um profissional irá te acolher e orientar sobre diversos pontos que você esteja precisando.

    Além de estabelecer uma rede de apoio com familiares, amigos e outros profissionais que você confie e sinta segurança.

    Cuide de você, pedir e aceitar ajuda é um passo muito importante!

  • Perdida

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    14 Visualizações

    @filipac
    Olá!

    Quando muitas coisas estão acontecendo ao mesmo tempo, temos a chance de não conseguirmos organizar as informações, pensamentos e emoções de uma forma saudável, gerando sofrimentos e angústias.

    Vale pontuarmos, que geralmente canalizamos as emoções de uma área para outra, intensificando a forma de interpretamos as situações.

    Descobrir um problema de saúde pode trazer algumas reações emocionais, como estresse, ansiedade, medo e entre outros.

    Não saber lidar com a notícia, pode gerar a chance de você canalizar esse sofrimento para outras áreas da sua vida ou as outras situações intensificarem as suas angústias.

    Estar em contato com alguém de uma ex relação, pode trazer a tona muitos pensamentos e emoções que podem ser negativas ou positivas.

    Podem te fazer bem no momento ou não.

    Para conseguir organizar todas essas angústias, sugiro:

    Estabelecer uma rede apoio, com familiares, amigos, profissionais que você confie e passe segurança. Estar em processo terapêutico a longo prazo, com um profissional da saúde mental para te acompanhar. Refletir sobre uma prioridade de situações para você demandar energia. Identificar quais situações podem estar gerando mais pensamentos e emoções negativas no momento.

    Será importante, você estar em processo terapêutico para conseguir e aprender a lidar com todas as suas reações emocionais a diversas situações que estão acontecendo.

    Na plataforma Fepo, oferecemos o acompanhamento de forma online e prática.

    Também refletir sobre o que vale a pena você demandar energia por agora, priorizar situações, para organizar os pensamentos e emoções e depois aprender como lidar com cada uma.

    Mas, um passo de cada vez!

  • Arrependimento e culpa do passado.

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    147 Visualizações

    @Lizzy-Grant
    Olá!

    Você já esteve ou está em processo terapêutico? Com algum profissional da área da saúde mental?

    Seria importante você estar em acompanhamento psicológico, para compreender todos os fatores que já aconteceram, que estão acontecendo e que possam vir a acontecer na sua trajetória de vida.

    Percebo em seu relato, uma bagagem com muitas experiências e informações que você não está conseguindo organizar e pode estar gerando angustias e sofrimentos.

    Tomar decisões e fazer escolhas, não são processos fáceis, ainda mais quando está relacionado a pessoas e ambientes que não estão abertos a acolher e compreender os seus conteúdos.

    A principio, deixo como sugestão:

    Iniciar um acompanhamento psicológico a médio/longo prazo. Identificar e organizar pensamentos e sentimentos positivos e negativos. Identificar quais os fatores que podem ser considerados gatilhos e gerar sentimento de vergonha, culpa, angustias e compreender o poder que possuem sobre você. O que você ainda precisa elaborar (compreender) e dar novos sentidos e significados. Desenvolver ferramentas para lidar e melhorar a comunicação com a sua mãe.

    Além desses pontos, refletir sobre o possível comportamento de potencializar as situações e dar um sentido negativo a elas, mas, na realidade elas não serem tão sofridas quanto parecem.

    Importante se organizar emocionalmente, cuidar dos seus sintomas que já existem, para depois passar para outras pessoas o que você gostaria.

    Será um processo!

  • Frustrada

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    123 Visualizações

    @souza96
    Olá!

    Quando estamos passando por fases de desenvolvimento é considerado comum que não saibamos lidar com determinadas situações, pois, estamos na fase de aprender e se desenvolver.

    Fugir e/ou desistir, faz parte dos nossos mecanismos de defesa, mas nem sempre será a melhor escolha.

    Quando alcançamos a fase adulta e as mesmas dificuldades permanecem, seria interessante averigua as possíveis causas que possam estar por trás dessas dificuldades.

    Por exemplo, o ambiente familiar/social, pode agregar com sentenças negativas sobre você, com frases:

    "você não consegue" "você não será capaz" "você não presta atenção"

    São apontamentos que fazem com que você acredite inconscientemente, gerando dificuldades, sofrimentos e angustias, como a vergonha e a insegurança.

    Outro ponto, seria uma possível falha nas estratégias em que você escolhe para estudar, talvez não esteja fazendo sentido para você e gera dificuldades no aprendizado.

    Como pode ser também um comportamento de timidez, desatenção, falha na memória e outras causas que podem estar presentes e precisariam ser analisadas com mais cautela e profundidade.

    Sugiro que você inicie um processo com um profissional da Psicologia com a abordagem Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) ou Neuropsicologia, para compreender e eliminar hipóteses.

    Além de encontrar ferramentas para lidar com todos os pontos de frustações, como realizar técnicas antes das apresentações, organizar os conteúdos, preparar o ambiente e etc.

    Gerando segurança em momentos de apresentações, reuniões e ocasiões que você se sinta vulnerável.

  • Sentimentos

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    23 Visualizações

    @marifran
    Olá!

    Muitas vezes criamos expectativas sobre alguém e a outra pessoa não possui a responsabilidade de suprir essas expectativas. Não temos como controlar o que o outro faz, deseja ou sente e por este motivo, quando algo ocorre ao contrario do que gostaríamos ou esperávamos gera uma frustração.

    Em seu relato, percebo que talvez tenha ocorrido uma falha na comunicação entre vocês sobre a visão e quais as reais intenções de ambos, e pode ter gerado altas expectativas em você, ao qual foram frustradas.

    Essa frustação, pode ter sido gatilho para acionar sentimentos/pensamentos angustiantes em você, gerando algum nível de sofrimento.

    Pensando nesse sentido, possui grandes chances de possíveis potencializações sobre a situação.

    Dar poder aos pensamentos e sentimentos negativos, não é saudável... No entanto, sugiro que você realize atividades que façam com que você tire o foco do pensamento/sentimento e de menos poder a ele.

    Por exemplo:

    Escrever o que pensa e sente, depois ler em voz alta para refletir qual efeito tem sob você. Identificar o que realmente aconteceu e o que você pode ter potencializado, assim dando sentido ao que pensa e sente. Realizar técnicas de respiração diariamente, para sua atenção não focar nos pensamentos/sentimentos e não gerar angustias. Colocar em sua rotina, novas atividades prazerosas. Conversar com alguém de confiança, para ter outras visões sobre o que aconteceu e talvez trazer novos sentidos. Se for necessário, cortar todo tipo de estimulo que possa alimentar o sentimento/pensamento.

    Além de identificar o que realmente esta gerando sofrimento, seria o comportamento dele? O significado que você atribuiu a ele? A sensação boa que ele te causava? A sensação de rejeição?

    Seria interessante iniciar um processo terapêutico para compreender mais a fundo todos os pontos citados.

  • Tensão.

    Como funciona?
    2
    0 Votos
    2 Posts
    83 Visualizações

    @malba-teixeira
    Olá!

    Quando estamos passando ou já passamos por determinadas situações em alguma área da vida, que podem ter gerado grandes cargas emocionais ou estamos em uma rotina exaustiva, temos a chance de gerar um quadro de estresse agudo.

    Por não saber ou não conseguir identificar os gatilhos e possíveis comportamentos, acabamos descontando esse estresse em outras áreas, situações ou pessoas... Como se fosse uma forma de canalizar tudo o que está dentro você.

    Em seu relato, percebo que você enxerga sim onde pode estar "falhando" ou não sabendo lidar com suas emoções, porem, sozinha não esteja conseguindo administrar elas, gerando uma sensação de culpa, sofrimento e angustias.

    Seria de extrema importância, você iniciar um possesso terapêutico a longo prazo com um profissional da psicologia, para compreender a raiz desse nervosismo, irritação e estresse.

    Identificando há quanto tempo ocorre, quais situações ou pessoas podem ser gatilhos.

    Além de aprender ferramentas para administrar sua emoções e comportamentos, podendo ter a chance de evitar desentendimentos, conflitos e angustias.

  • Como ser uma pessoa mais sociável?

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    87 Visualizações

    @dhy
    Olá!

    Seria interessante compreender o que seria “ficar nervosa” para você, quais comportamentos e em quais situações essa sensação está presente.

    Por exemplo:

    Entre amigos Com familiares Em relacionamentos amorosos No ambiente de trabalho

    Quais tipos de contato que gera um desconforto?

    Sugiro que você faça uma observação sobre esses pontos e posteriormente, encontre formas para cuidar e desenvolver o que for necessário.

    Um profissional da psicologia com a abordagem Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) poderá te auxiliar de forma efetiva nesse processo.

  • 0 Votos
    2 Posts
    33 Visualizações

    @Marcelo
    Olá!

    Muitas vezes emitimos comportamentos sem nos questionar o motivo de faze-los, e acabamos percebendo que pode ser um comportamento bom ou não, quando algo acontece que nos gera um incomodo.

    Existem diferenças entre não conseguir manter uma conversa e entre não iniciar assuntos, ambos podem envolver diversas questões, como: vergonha, timidez, ansiedade, medos, inseguranças, necessidade de validação do outro ou não saber como fazer.

    Como também você pode ter o perfil mais introspectivo, observador e preferir ouvir ao invés de interagir com conteúdos. Porém, dependendo do ambiente/situação, tal comportamento pode não fazer sentido ou ser benéfico.

    Pensando nesse sentido, sugiro que você procure um profissional da psicologia para compreender se pode ser uma questão de habilidades sociais (você não desenvolveu essa habilidade e pode aprender agora) ou possa existir outros fatores por trás desse comportamento, que estejam gerando dificuldades .

    Em seguida, invista em atividades que possam te ajudar nessa questão, como aulas de teatro, sair com mais frequência, fazer novas amizades e até mesmo estudar sobre assuntos para arriscar a puxar uma conversa.

    Observar o ambiente e as pessoas com quem você convive, será importante. Pois, precisamos saber do mínimo sobre os ambientes para termos segurança para iniciar ou manter uma conversa.

  • 0 Votos
    2 Posts
    30 Visualizações

    @Roselima
    Olá!

    Apresentar sintomas de demência requer cuidados redobrados, pois, pode gerar declínio cognitivo, alterações no humor, nos comportamentos e na funcionalidade do individuo.

    Será necessário uma avaliação médica para a confirmação do quadro ou a analise de outras possíveis hipóteses, uma vez que os sintomas podem ser característicos de outros quadros.

    Sugiro que vocês como filhos, observem e anotem os sintomas diariamente e entrem em contato com um médico clinico/psiquiátrico ou neuropsicólogos para receber orientações e posteriormente, saber como prosseguir.

    Na primeira consulta/conversa com o profissional os idosos não precisam estar presente.

    Como segunda opção sugiro os cuidados domiciliar, onde os profissionais que vão até o ambiente do paciente para os cuidados necessários, sem tira-los do seu conforto ou tentar a modalidade online.

    Será necessário testar formas de cuidados, para eles se sentirem seguros e adeptos, será um processo.

    Em seguida, seria interessante psicoeducar (ensinar) os idosos sobre a importância dos cuidados profissionais em geral, independente do possível quadro que possa existir.

    Saber que estão apresentando sintomas diferentes pode estar gerar medo, ansiedade, resistência e angustias neles.

    Apresente a ideia de forma didática, focando nos benefícios e passando segurança para eles. Importante estarem atentos e evitar de deixa-los sozinhos.

    Além de vocês filhos procurarem ajuda emocional para lidar com o momento, as angustias e os sofrimentos de vocês, pois, também pode influenciar no comportamento deles.

  • Sempre sou a errada?

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    46 Visualizações

    @andreia-costa
    Olá!

    Relacionamentos funcionam como uma via de mão dupla, ambos precisam estar alinhados na comunicação, desejos e objetivos sobre a relação.

    Quando ocorre algum desequilíbrio nesse alinhamento, pode gerar muitos problemas desagradáveis ao casal.

    Você apresentou não ter certeza das “acusações” dele sobre você. Seria interessante, fazer uma relação das falas com a realidade para saber o que de fato está acontecendo e até mesmo identificar comportamentos de ambos que possam estar gerando angústias e desentendimentos.

    Sobre você não conseguir desvincular dessa relação, é extremamente importante compreender se em algum nível você não possui uma dependência nessa pessoa.

    Seja em nível emocional, patrimonial, financeiro e entre outros.

    Pensando no seu cuidado, deixo como sugestão você entrar em contato com um profissional da psicologia para analisar melhor e mais a fundo sua situação.

    Sozinha, você poderá ter dificuldades para compreender a situação como um todo e saber se essa relação tem sido positiva ou negativa para o seu momento de vida.

  • Me sinto frustrada e confusa

    Desabafar
    4
    0 Votos
    4 Posts
    58 Visualizações

    @esthefany
    Olá!

    Percebo em seu relato comportamentos dele, que talvez estejam alimentando algo em você.

    A convivência, a troca, a aproximação vão nutrir o seu sentimento, mas nada garante que seja recíproco da parte dele.

    Quando o sentimento está em grande intensidade, existe a chance de potencialização dos pensamentos, percepções e sensações sobre a pessoa ou a situação.

    Você não tem o poder de mudar a situação, escolhas e os comportamentos dele e esse ponto pode estar gerando angústia e sofrimento em você também.

    Não escolhemos ou decidimos o que sentir, mas podemos administrar o sentimento da melhor forma para não gerar algo negativo.

    Seria interessante, você observar e refletir se faz sentido você dar abertura para o crescimento desse sentimento…

    Compreender se é o melhor (mesmo você querendo muito) manter contato, estar próxima ou algo do tipo.

    Todos esses pontos e outros podem ser considerados estímulos e enquanto você estiver em contato com os estímulos, mais repostas emocionais você vai ter.

    Sugiro que você reflita sobre as prioridades que sejam positivas para você, que te façam bem dentro da sua realidade.

    Além de iniciar um processo terapêutico, com um profissional da abordagem Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) ao qual irá te auxiliar nesse momento de angústia e sofrimento.

  • Sufocada

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    238 Visualizações

    @Jade
    Olá!

    Muitas vezes não sabemos se nos colocamos ou se fomos colocadas em determinadas situações... Podendo gerar confusões de sentimentos, emoções negativas e uma sobrecarga psíquica intensa.

    Em seu relato, percebo que não há limites entre os conteúdos que são seus e o que podem ser da sua mãe.

    O que é extremamente perigoso, pois ao mesmo tempo que ela pode ter criado uma dependência emocional em você, você também pode ter nela.

    Pensando nesse sentido, são grandes as chances de você ter sensações de culpa, desgastes e angustias que podem complicar o entendimento de quando é necessário a imposição de limites de espaços uma da outra.

    Seria interessante uma reflexão sobre as falas dela e relacionar com a realidade...

    Exemplo: Ela te chamou de egoísta, mas os seus comportamentos e intenções mostram que você não é egoísta, só está exausta.

    Quando você compreende a fala/pensamento vs. realidade, se torna visível o que pode ser conteúdo dela e o que pode ser conteúdo seu.

    Porém, será necessário identificar no dia a dia quais mudanças precisam ocorrer, para que amenize toda a angustia.

    Sugiro que você comece uma analise terapêutica, para compreender os comportamentos disfuncionais que ambas podem estar emitindo.

    Sozinha, talvez você não conseguirá...

    Pois, a questão de ser sua mãe pode pesar em alguns pensamentos e decisões que você precise tomar.

  • Tristeza

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    36 Visualizações

    @alearoria1
    Olá!

    Receber comentários, falas e julgamentos maldosos de outras pessoas nos coloca em um lugar desconfortável e de sofrimento.

    Na maioria das vezes, acreditamos no que é falado/expressado a nosso respeito e não relacionamos com a realidade.

    O outro emite aquilo que ele possui, não temos o poder de controlar isso. Mas, temos o controle de definir o que vamos receber e levar para as nossas vidas.

    O seu jeito, perfil e aparência diz respeito somente a você. O outro, não sabe da sua realidade, qualidades e vivências e por esse motivo é importante filtrar alguns conteúdos.

    Quais conteúdos realmente são seus e quais são dos outros?

    Tudo bem hoje você não se sentir bem, você ter dificuldades em se aceitar ou não estar na melhor fase emocional.

    Você recebeu aquilo que te trouxeram e pensando nesse sentido, sugiro que você inicie um processo terapêutico e comece a filtrar o que vale a pena receber e levar com você.

    Talvez, o outro e o ambiente você não conseguirá mudar, mas aprender a lidar com as situações por outras perspectivas e não permitir receber qualquer demanda é essencial para a saúde mental e bem-estar.

  • Tristeza e solidão

    Desabafar
    4
    0 Votos
    4 Posts
    73 Visualizações

    @suely
    Olá!

    O rompimento de um relacionamento, pode ser considerado como uma fase de luto e dentro dessa fase existem varias subfases.

    Ao perdermos o convívio com a pessoa que tínhamos o habito de ter uma troca, podemos estar perdendo outras coisas, como toda a significância e sentimento que atribuímos a ela e isso gera algumas consequências em nós mesmos.

    Vejo em seu relato, que você está em processo de adaptações em ambientes que talvez você não esteja identificando como seus. Como a casa, o trabalho e a rotina dos seus filhos e não os seus desejos, suas vontades ou seus objetivos.

    Estar nesse momento de vida, pode gerar insegurança, medo, tristeza, confusões de pensamentos e sentimentos, fazendo com que você fique confusa, frustrada, podendo perder sua própria identidade e essência.

    Pensando nesse sentido, sugiro que você busque por acompanhamento terapêutico para a compreensão do seu momento de vida e os efeitos que podem estar surtindo em você.

    A forma que lidamos com as situações, podem influenciar muito no nosso humor, nossos sentimentos e pensamentos.

    Consequentemente, tendemos a apresentar alguns sintomas disfuncionais e desconfortáveis, que podem levar a um sofrimento. Como a sensação de não se reconhecer, não ser pertencente ao mundo e não ver sentido nas coisas da vida.

    Por este motivo, o auxilio profissional irá te ajudar na compreensão do seu contexto de vida, na desconstrução de pensamentos que talvez não estejam condizente com a realidade e desenvolverá formas para você lidar com essas situações.

    Será um processo que precisará de tempo, disposição e talvez sozinha você não conseguira se reorganizar.

    Na plataforma Fepo, oferecemos diversos tipos de ajuda... Estamos a disposição para auxilia-la.

  • 0 Votos
    3 Posts
    52 Visualizações

    @Terapeuta-da-Fepo Obrigada por me ajudar, pelas sugestões e pela informação de qual profissional buscar pra me tirar essa questão da cabeça. Acho que preciso mesmo refletir sobre essa minha necessidade de ser sempre produtiva. Obrigada.

  • Socorro 😞

    Desabafar
    2
    0 Votos
    2 Posts
    43 Visualizações

    @Rita-Mendes
    Olá!

    Ao acessar o site FEPO no Google, você tem acesso a todas as formas de contato com os profissionais.

    Temos as oportunidades de Apoio emocional, acolhimento e acompanhamento terapêutico.

    Você poderá acessar o perfil do profissional e agendar uma sessão com algum desses profissionais.

    Caso encontre alguma dificuldade, no próprio site tem o número de WhatsApp para a equipe Fepo te auxiliar da melhor forma.